Sintaxe do Período Simples - CESPE

Card Set Information

Author:
neojr
ID:
262393
Filename:
Sintaxe do Período Simples - CESPE
Updated:
2014-02-17 10:36:57
Tags:
Sintaxe do Período Simples CESPE
Folders:

Description:
Sintaxe do Período Simples - CESPE
Show Answers:

Home > Flashcards > Print Preview

The flashcards below were created by user neojr on FreezingBlue Flashcards. What would you like to do?


  1. Do sucesso no circuito comunicacional dependem a existência e a felicidade pessoal.



     1. No período acima, o sujeito composto – “a existência e a felicidade pessoal” – está posposto ao núcleo do predicado verbal.
    1. CERTO. Sabe-se que a ordem direta dos termos da oração é SUJEITO+ VERBO + COMPLEMENTO. No trecho “Do sucesso no circuito comunicacional dependem a existência e a felicidade pessoal” tem-se COMPLEMENTO (Do sucesso no circuito comunicacional) + VERBO(dependem) + SUJEITO COMPOSTO (a existência e a felicidade pessoal).A oração está, portanto, na ordem inversa: o sujeito está posposto ao predicado.
  2. “O bom momento que vive a economia nacional estimula suas vendas,mas a indiscutível preferência do consumidor pelo modelo flex tem outras razões.”



     2. No trecho “O bom momento que vive a economia nacional estimula suas vendas” (ℓ.1), o sujeito das formas verbais “vive” e “estimula” é o mesmo.
    2. ERRADO. O sujeito de “vive” é a expressão posposta “a economia nacional; já o sujeito de “estimula” é a expressão “O bom momento”.
  3. “Desapareceram os grandes personagens, que foram a verdadeira história da UnB. Restaram apenas mágoas e ressentimentos, medo e desconfiança, um sentimento de desgosto e de tristeza no meio de toda aquela gente se evadindo ou assistindo com pavor à violência e à desmoralização de seus colegas e familiares sem que nada se pudesse fazer.”




     3. A indeterminação do sujeito é um recurso usado quando o autor não quer ou não pode revelar quem fez determinada ação, como ocorre em: “Desapareceram”(ℓ.1); “Restaram” (ℓ.2).
    3. ERRADO. O que a questão afirma acerca do conceito de indeterminaçãodo sujeito é correto. Entretanto, o que afirma sobre as formas verbais “Desapareceram” e “restaram” é incorreto. O sujeito desses verbos não é indeterminado, e sim, respectivamente, os termos “os grandes personagens”e “mágoas e ressentimentos, medo e desconfiança, um sentimento de desgosto e de tristeza”. Deve-se observar que a terceira pessoa do plural só indica sujeito indeterminado quando não se fizer referência a nenhum termo anterior ou posterior. Ex.: Pegaram meu celular./ Quebraram a vitrine daquela loja.
  4. “Segundo a observação de H. von Stein, ao ouvir a palavra “natureza”, o homem dos séculos XVII e XVIII pensa imediatamente no firmamento; o do século XIX pensa em uma paisagem.”



     4. Em “o homem dos séculos XVII e XVIII pensa imediatamente no firmamento; o do século XIX pensa em uma paisagem” (ℓ.2-3), o núcleo do sujeito está elíptico, na segunda ocorrência do verbo pensar.
    4. CERTO. Percebe-se claramente que o sujeito da segunda ocorrência de “pensa” é o termo “homem”, que está subentendido contextualmente.
  5. “A etapa de avaliação quantitativa e a de avaliação qualitativa dos resultados compõe o próximo capítulo.”



    5. Para se garantir a coerência e a correção gramatical da frase, deve-se transformar o sujeito, que é composto, em sujeito simples, retirando-se o trecho “a de avaliação” e deixando-se o verbo compor como está, no singular.
    5. CERTO. No trecho “A etapa de avaliação quantitativa e a de avaliação qualitativa dos resultados compõe o próximo capítulo”, a forma verbal está no singular, o que configura erro gramatical, uma vez que o sujeito é composto. Observe-se que o termo “etapa” está subentendido entre “ade”. Para que a frase fique gramaticalmente correta, a mudança sugerida,apesar de não ser a única possível, é eficaz, ou seja, a retirada de “a de avaliação” tornaria o sujeito simples e manteria o verbo no singular.
  6. “Apenas 1% de toda a água existente no planeta é apropriado para beber ou ser usado na agricultura. O restante corresponde à água salgada dos mares (97%) e ao gelo nos pólos e no alto das montanhas.Administrar essa cota de água doce já desperta preocupação.”



     6. A oração “Administrar essa cota de água doce” (ℓ.4) exerce função sintática de sujeito.
    6. CERTO. Observe-se que no trecho Administrar essa cota de água doce/ já desperta preocupação, tem-se duas orações, que aqui foram separadas por uma barra. O sujeito da primeira não existe, uma vez que o verbo está no infinitivo impessoal. O sujeito da segunda é justamente a primeira. Observe-se: O que já desperta preocupação? Resposta:ISSO = Administrar essa cota de água doce. O termo sublinhado é um pronome interrogativo que serve para identificar o sujeito. Geralmentequando se faz as perguntas Quem? e O quê? antes dos verbos, encontra-se o sujeito. No caso, o sujeito é a outra oração, classificado como sujeito oracional.
  7. “O poluente associado à maior probabilidade de morte dos fetos é o monóxido de carbono (CO), um gás sem cor nem cheiro que resultada queima incompleta dos combustíveis.”



     7. O trecho “um gás sem cor nem cheiro que resulta da queima incompletados combustíveis” (ℓ.2-3) exerce a função de aposto.
    7. CERTO. O aposto é um termo substantivo de natureza explicativa, que equivale a outro termo substantivo geralmente anterior. Quando explicativo,o aposto é separado do termo a que se refere por vírgula, travessão, dois pontos ou parênteses. Observe-se que a expressão “um gás sem cornem cheiro que resulta da queima incompleta dos combustíveis” está separada por vírgula e equivale ao termo anterior “monóxido de carbono”.
  8. “Talento só não basta”, disse Phelps na entrevista coletiva após a sexta medalha de ouro. “Muito trabalho,muita dedicação, é uma combinação de tudo... Tentar dormir e se recuperar, armar cada sessão de treino da melhor forma possível e acumular muito treino.”



     8. No último parágrafo, o sujeito dos verbos “Tentar”, “recuperar”, “armar” e “acumular” é o pronome “tudo”, que funciona como aposto.
    8. ERRADO. No trecho “Tentar dormir e se recuperar, armar cada sessão de treino da melhor forma possível e acumular muito treino”, os verbos destacados estão no infinitivo impessoal, uma vez que não há um termo a que se refiram. O sujeito não é o pronome “tudo” (este termoé complemento nominal de “combinação”). Alguns gramáticos afirmam que verbos no infinitivo impessoal possuem sujeito indeterminado; outros afirmam que se trata de oração sem sujeito. De qualquer forma, a questão está incorreta por indicar o pronome “tudo” como sujeito.
  9. “Mais preocupante, no entanto, é a situação criada pelo relator da ONU para o direito à alimentação, Jean Ziegler, que classificou os biocombustíveis como “um crime contra a humanidade”,...”



    9. O nome “Jean Ziegler” (ℓ.2) está entre vírgulas por constituir um vocativo.
    9. ERRADO. Vocativo é um termo utilizado para se fazer um chamamento,uma invocação. Não equivale a um termo anterior nem o explica. O nome “Jean Ziegler”, na verdade, é aposto explicativo do termo “relator da ONU para o direito à alimentação”. O aposto é um termo substantivo de natureza explicativa, que equivale a outro termo substantivo geralmente anterior. Quando explicativo, o aposto é separado do termo a que se refere por vírgula, travessão, dois pontos ou parênteses.
  10. “Marx, herdeiro e defensor das postulações do Iluminismo, indagou-se as relações de produção e as forças produtivas do capitalismo permitiriam, de fato, a realização da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade.”




    10. O trecho “herdeiro e defensor das postulações do Iluminismo” (ℓ.1) exerce,na oração, a função sintática de vocativo.
    10. ERRADO. Vocativo é um termo utilizado para se fazer um chamamento, uma invocação. Não equivale a um termo anterior nem o explica. O termo “herdeiro e defensor das postulações do Iluminismo”, na verdade,é aposto explicativo do nome anterior “Marx”. Sabe-se que o aposto é um termo substantivo de natureza explicativa, que equivale a outro termo substantivo geralmente anterior. Quando explicativo, o aposto é separado do termo a que se refere por vírgula, travessão, dois pontos ou parênteses.
  11. “O IRIB e o Colégio Notarial sentem-se orgulhosos de poder contribuir com o desenvolvimento das atividades notariais e registrais doestado.”



     
    11. Na linha 1, a palavra “orgulhosos” é um adjetivo que está, no contexto,exercendo a função sintática de predicativo de “IRIB” e “Colégio Notarial”, ambos objetos diretos.
    11. ERRADO. A primeira parte da afirmação está correta. De fato, o adjetivo “orgulhosos” funciona como predicativo do sujeito dos termos “IRIB”e “Colégio Notarial”. Observe-se, porém, que estes termos funcionamcomo sujeito de “sentem-se”, e não como objetos diretos. Deve-se observar,ainda, que o predicativo do sujeito é uma característica ou qualidade do sujeito, mas se encontra no predicado.
  12. “Os números são semelhantes aos relacionados aos furtos, roubos e ameaças"



    12. No trecho “Os números são semelhantes aos relacionados aos furtos, roubos e ameaças”, o termo “números” é predicativo do sujeito.
    12. ERRADO. Claramente o substantivo “números” funciona como sujeito da forma verbal “são”. O predicativo é o termo adjetivo “semelhantes”.
  13. 13. A expressão “Confissões de Allan Poe”, no título de um texto, e “construção de Brasília” são estruturas semelhantes sintaticamente, pois são formadas por substantivo abstrato mais preposição de seguida de outro substantivo,o qual, no título do texto, desempenha papel de agente – pelo qual se entende que Allan Poe fez uma confissão – e, em construção de Brasília,desempenha papel de paciente.
    13. CERTO. Observe-se que tanto em “Confissões de Allan Poe” quanto em“construção de Brasília” tem-se uma estrutura formada por substantivo +preposição + substantivo, sendo que a preposição introduz especificações para os termos anteriores a ela. Quanto ao papel semântico, “Allan Poe” realmente exerce papel de agente: ele que confessa; e “Brasília” exerce papel de paciente, uma vez que ela é construída. Quanto às funções sintáticas,poder-se-ia afirmar que “de Allan Poe” é um adjunto adnominal e“de Brasília” complemento nominal. Porém a estrutura sintática é semelhante(subst. + prep. + subst.).
  14. 1 “O fulcro da questão é que ou garantimos os direitos sociais a todos os trabalhadores, em todas as posições na ocupação – assalariados, estatutários, cooperantes, avulsos, terceirizados etc. – ou será cada vez mais difícil garanti-los para uma minoria cada vez menor de trabalhadores que hoje têm o status de empregados regulares.”




    14. As alternativas expressas entre as linhas 1 e 5 complementam o sentido do sujeito da oração “O fulcro da questão é” (ℓ.1).
    14. CERTO. A expressão “O fulcro da questão” funciona como sujeito da oração “O fulcro da questão é”. O predicativo do sujeito é toda a oração que vem após a forma verbal “é”, portanto classifica-se como oração subordinada substantiva predicativa. Sabe-se que verbos de ligação não têm sentido próprio, por isso necessitam de um predicativo para lhes complementar o sentido. Portanto, a questão está correta.
  15. “Ele só descobre que um bem é fundamental quando deixa de possuí--lo. Preso naquele porão, eu descobria que a liberdade mais importante que existia era a liberdade de ir e vir, a liberdade de movimento.Eu tinha todas as outras liberdades, preso no porão – de pensar, de xingar meus captores, de ter uma religião (caso quisesse uma), de escolher minhas convicções políticas.”




    15. A oração “que um bem é fundamental” (ℓ.1) exerce a mesma função sintática que “todas as outras liberdades” (ℓ.4).
    15. CERTO. No trecho “Ele só descobre que um bem é fundamental”, a oração sublinhada exerce a função de objeto direto, completando a forma verbal transitiva direta “descobre” (Veja-se a semelhança com a questão anterior). No trecho “Eu tinha todas as outras liberdades”, o termo sublinhado exerce a função de objeto direto, completando a forma verbal transitiva direta “tinha”. Portanto, os elementos destacados exercem a mesma função sintática, apesar de o primeiro ser uma oração e o segundo não.
  16. “Além das estatísticas, o autor revela as histórias trágicas que os dados frios não mostram, como as crianças abandonadas pelas famílias nas ruas de Kinshasa (Congo), por serem consideradas “feiticeiras”,ou a nuvem de gás letal expelida pela fábrica da Union Carbide na Índia, que causou a morte de aproximadamente 22 mil habitantes de barracos nos arredores da unidade da empresa, que não tinham informação sobre os riscos ou opção de morar em outro local.”



    16. Na linha 1, a expressão “os dados frios” é objeto direto do verbo “mostram”.
    16. ERRADO. No trecho “Além das estatísticas, o autor revela as histórias trágicas que os dados frios não mostram...”, a expressão “os dados frios” não funciona como objeto direto, e sim como sujeito. Observe-seque o termo que complementa semanticamente a forma verbal “mostram” é a expressão “as histórias trágicas”, substituída sintaticamente pelo pronome relativo “que”.
  17. “Um analista de palavra-chave, por exemplo, tem a única missão de combinar as palavras de um sítio de modo que as ferramentas de busca o situem, sempre, entre os primeiros da lista. Em uma outra frente, surgiram funções relativas a assuntos ambientais, como a do consultor de sustentabilidade, profissional que, entre outras coisas,faz estudos de impacto sobre o ambiente. É algo básico para muitos negócios.”



    17. Pelos sentidos do texto, depreende-se que, no trecho “de modo que as ferramentas de busca o situem, sempre, entre os primeiros da lista” (ℓ.2-3),o termo sublinhado, que é complemento do verbo situar, está empregado em referência a “Um analista de palavra-chave” (ℓ.1).
    17. ERRADO. A primeira parte da questão é verdadeira. De fato, em “o situem”,o termo sublinhado exerce a função sintática de objeto direto. Entretanto, a referência coesiva foi indicada de maneira incorreta. O pronome destacado não retoma “Um analista de palavra-chave”, sujeito da oração, e sim o termo “sítio” (tradução de site).
  18. “Machado pode ser considerado, no contexto histórico em que surgiu, um espanto e um milagre, mas o que me encanta de forma mais particular é o fato de que ele estava, o tempo todo, pregando peças nos leitores e nele mesmo.”




    18. O pronome ‘me’ (ℓ.2) funciona como complemento indireto da forma verbal “encanta” (ℓ.2).
    18. ERRADO. Observe-se que no trecho “mas o que me encanta de forma mais particular” a forma verbal sublinhada é VTD; exige, portanto, um objeto direto. Logo, o pronome “me” não pode ser objeto indireto contextualmente. Sabe-se que vos, se, nos, te, me podem funcionar como objeto direto ou indireto, mas quem define a função deles é o verbo.
  19. “O Instituto de Registro Imobiliário do Brasil (IRIB), seção de São Paulo, em parceria com o Colégio Notarial do Brasil, também seção de São Paulo, e com o apoio da Corregedoria-Geral da Justiça de São Paulo, congrega esforços para promover e realizar seminários de direito notarial e registral no estado, visando o aperfeiçoamento técnico de notários e registradores e a reciclagem de prepostos e profissionais que atuam na área.”



     19. As expressões “em parceria” (ℓ.2) e “com o apoio” (ℓ.3) exercem a função sintática de adjunto adverbial de companhia e, por isso, podem ser substituídas, sem prejuízo do sentido, por juntamente.
    19. ERRADO. Realmente, a substituição sugerida pela questão não traria prejuízo gramatical nem semântico. Entretanto, a função sintático-semântica das expressões “em parceria” e “com o apoio” foi indicada de maneira incorreta. Na verdade, trata-se de adjuntos adverbiais de modo, e nãode companhia. Veja-se que os vocábulos derivados terminados em mente são, em termos gerais, advérbios de modo. O termo juntamente é umdeles. O fato de as expressões “em parceria” e “com o apoio” poderem ser substituídas por um advérbio de modo é um indicativo de que exercem a mesma função.
  20. “Em 1964, o cineasta Stanley Kubrick lançava o filme Dr. Strangelove.Nele, um oficial norte-americano ordena um bombardeio nuclear à União Soviética e comete suicídio em seguida, levando consigo o código para cancelar o bombardeio.”



     20. A expressão “à União Soviética” (ℓ.3) é complemento da forma verbal“ordena” (ℓ.2).
    20. ERRADO. A expressão “à União Soviética” é, na verdade, complementonominal do substantivo “bombardeio”. Observe-se que a forma verbal“ordena” até poderia ser VTDI, exigindo dois complementos. Porém,contextualmente, o termo que representa semanticamente o destinatário da ordem não é “à União Soviética”, e sim, implicitamente, um subordinado do oficial que ordena o bombardeio.

What would you like to do?

Home > Flashcards > Print Preview