Pediatria

Card Set Information

Author:
Roney1000
ID:
298953
Filename:
Pediatria
Updated:
2015-03-22 15:16:47
Tags:
Constipação Intestinal
Folders:

Description:
Constipação Intestinal
Show Answers:

Home > Flashcards > Print Preview

The flashcards below were created by user Roney1000 on FreezingBlue Flashcards. What would you like to do?


  1. Qual a incidência da CI nas crianças?
    Existem estimativas de que a população pediátrica seja acometida por constipação intestinal em taxas que variam entre0,3 a 8,0%(2,3).

    Em Serviços de Gastroenterologia Pediátrica,20,0 a 25,0% das consultas são devidas àconstipação intestinal.
  2. Qual o conceito de Constipação intestinal?
    A constipação intestinal é, usualmente, definida em termos de mudanças na freqüência, tamanho, consistênciaou facilidade de passagem das fezes.

    A constipação intestinal pode, assim, ser definidapor uma freqüência fecal menor que três vezes por semana, mas é melhor definida como a ocorrência deevacuações dolorosas e eliminadas com esforço, comumente acompanhadas por choro, em crianças pequenas ou quando a criança apresenta retenção fecal,com ou sem escape, ainda que o número de evacuações seja maior ou igual a três vezes por semana.
  3. Qual a razão de evacuações entre meninas e meninos?
    Com 4 anos ou menos, meninas e meninos com constipação é de 1:1, enquanto,em pacientes com 5 anos ou mais, encontrou-se umarazão de 3-4:1.
  4. Diferencie o quadro agudo do crônica na CI.
    Um episódio agudo de constipação pode seguir-se a uma mudança de dieta ou ambiente, um período febril,um período de desidratação ou de repouso no leito.

    Os quadros crônicos de constipação podem ser decorrentes de um manejo inadequado de uma constipação aguda.
  5. Causas orgânicas de CI são aquelas em que se conhece o fator etiológico. Quais são as causas orgânicas de CI?
    • 1. Neurogênicas;
    • 2. Anais;
    • 3. Endócrinas ou metabólicas;
    • 4. Medicamentosas.
  6. O que são causas funcionais de CI?
    São aquelas em que o fator etiológico é desconhecido.

    Segundo descrições da literatura, correspondem a 95,0% das constipações apresentadas pelas crianças.
  7. Fale sobre a fisiopatologia da CICF.
    É desconhecida.

    • Pressão esfinctérica anormalmente elevada
    • Sensibilidade retal reduzida;
    • Falta de relaxamento ou contração paradoxal do esfíncter anal externo;
    • Diminuição do VIP, PHM, motilina;
    • Aumento de serotonina;
    • Megarreto.
  8. Quais os sintomas do paciente com CICF?
    • Dor abdominal: 10- 50%
    • Falta de apetite: 26%
    • Queixas urinárias: 15%
    • Problemas psicológicos: 20%
  9. Quais os sinais associados a CICF?
    • Peso < Percentil 5
    • Escape fecal
    • Distensão abdominal
    • Massa abdominal: 30-50%
    • Impactação fecal: 40-80%
    • Dilatação retal
    • Fissura anal
    • Prolapso retal
  10. Qual a definição de escape fetal?
    É definido como perda involuntária de fezes nas roupas, em crianças acima dos quatro anos de idade, conseqüente à impactação fecal no reto.
  11. O que podemos notar ao exame físico e anorretal de um paciente com CICF?
    • Ao exame físico desses pacientes,podemos detectar:
    • peso abaixo do percentil 5 em até 10,0% dos casos
    • sintomas de retenção fecal crônica
    • distensão abdominal em 20,0%
    • massa abdominal em 30,0%a 50,0% impactação fecal em 40,0% a 80,0% dos casos.
    • A massa abdominal é mais comumente palpável na região suprapúbica e na linha média, podendo ocupar completamente o quadrante abdominal inferior direito e esquerdo(2).

    • O exame anorretal é muito importante nos quadros de CICF permitindo excluir estenoses anais, ânus imperfurado e anomalias espinhais,maiores como agenesia sacral. A dilatação anal está presente em 18,0% das crianças constipadas, a fissura em 26,0% e o prolapso retal em 5,0% dos casos.
    • Em 3/4 das crianças há dilatação anal, impactação fecal ou sinais perianais (fissuras,vermelhidão e arroxeamento).
  12. Diferencie a CICF da doença de Hirschsprung.
  13. Quando realizamos exames bioquímicos?
    São indicados quando se suspeita de deficiências ou excessos de hormônios tireoidianos ou adrenais e distúrbios eletrolíticos.
  14. Quais exames radiológicos podem ser úteis?
    Raio x de abdomen;

    Enema opaco.
  15. Quando pedimos uma Raio x de abdomen?
    Indicado quando se suspeita de constipação intestinal crônica, quando a história clínica não elucida o diagnóstico e, ao toque retal,não se palpam fezes na ampola retal.
  16. Quando indicamos um enema opaco?
    É indicado, quando há forte suspeita de doença de Hirschsprung ou outras desordens neuronais,
  17. Qual a importância da manometria anorretal?

    Quais os possíveis achados?
    Atualmente,a manometria anorretal é um exame bastante utilizado no paciente pediátrico e bem reconhecido por ajudar no estabelecimento do diagnóstico diferencial da constipação intestinal, incontinência fecal e na avaliação pré e pós operatória de anomalias retais congênitas, adquiridas ou traumáticas.

    Hipertonia anal,hipotonia anal, falta de relaxamento do esfíncter anal externo e assoalho pélvico durante a tentativa de defecação, habilidade diminuída do esfíncter anal interno,para relaxar completamente durante a distensão retal, aumento da complacência retal e do limiar de sensibilidade retal consciente, além de diminuição da contratilidade retal.
  18. Quais as indicações da manometria anorretal?
    Basicamente, as mesmas indicações do enema opaco, tendo importância destacada nos casos de doença de Hirchsprung ultracurta, em que o enema opaco é normal, embora, na manometria anorretal não se observe o reflexo reto esfincteriano.
  19. Fale sobre a biópsia retal.
    É indicada quando há forte suspeita de que a constipação seja de causa orgânica,sendo as mais importantes a doença de Hirschsprunge as displasias neuronais. É considerado o exame-padrão no diagnóstico da doença de Hirschsprung.

    Pela biópsia de camada completa, é possível avaliar as anormalidades presentes no plexo submucoso e mientérico, como: aganglionose, hipoganglionose e hiperganglionose.
  20. Qual o tratamento da CI aguda?
    Deve-se aumentar o aporte de fibras na dieta.

    Quando só a dieta não é suficiente para o controle do quadro, deve-se instituir a utilização de laxativos por períodos curtos(3-4 dias).
  21. Qual o tratamento da CI orgânica?
    • Deve ser direcionada a causa básica.
    • Sendo assim,pode-se citar como exemplos: reposição de hormônios tireoidianos, no hipotireoidismo; retirada do segmento agangliônico na doença de Hirschsprung clássica.
  22. Qual o tratamento da CIFC?
    1. Elaboração de um plano organizado e bem fundamentado;

    • 2. Tratamento clínico convencional:
    • Educação
    • Desimpactação
    • Prevenção de reacumulação de fezes
    • Ingestão hídrica: 1 a 2l por dia
    • Laxativos: preferencialmente acima dos 6 meses de idade. Os laxativos mais comumente utilizados são: o óleo mineral, o leite de magnésia e a lactulona, na dose de 1-2ml/Kg/dia, uma a duas vezes ao dia.
    • Recondicionamento da criança para hábitointestinal normal

    3. Tratamento psicológico: Opta-se, porém, para a intervenção de psicólogos e psiquiatras quando não se encontra adesão ao tratamento e/ou o paciente apresenta distúrbios comportamentais que não melhoram com a atuação exclusiva do médico que está cuidando da criança. 

    4. Tratamento biofeedback: visa treinar o paciente a relaxar o esfíncter anal externo durante o ato do esforço para a evacuação. A técnica envolve a colocação de um tubo de metal, de plástico ou de borracha,atado a balões de látex, dentro do canal anal ereto, que monitoriza a contração paradoxal do esfíncter anal externo, durante ou a distensão do balão retal ou a tentativa voluntária de esforço para a evacuação.

    5. Tratamento cirúrgico: A cirurgia não é o tratamento de escolha para todos os tipos de constipação porém, pode oferecer uma opção terapêutica às pessoas que, desesperadas, buscam uma solução para sua constipação, que foi rotulada como“intratável” devido ao fato de apresentar trânsito lento ou a chamada obstrução de saída. Nas crianças, o tratamento cirúrgico se restringe ao megacólon e megarreto.
  23. Qual é a resposta, em geral, da criança ao tratamento da CICF?
    Enquanto alguns autores definem, como critério de recuperação,a freqüência de evacuações maior ou igual a três evacuações por semana sem escape fecal, em crianças não usando medicamentos ou qualquer outro tratamento por pelo menos um mês, outros consideram curadas as crianças com, pelo menos, cinco evacuações por semana sem escape fecal e com uso ocasional de laxativos (menos que uma vez por semana) e melhoradas, as crianças com, pelo menos, três evacuações por semana e que apresentem escape fecal menos de uma vez por semana.
  24. Quais os fatores mais comumente estudados, que se acredita estarem envolvidos na resposta terapêutica à constipação?
    • Problemaspsicológicos
    • Nível sócio-econômico e cultural
    • Complacência ao tratamento
    • Gravidade da constipação
    • Anormalidades no funcionamento dos esfíncteres anais interno e externo
    • Alterações na contratilidade e sensibilidade retais

What would you like to do?

Home > Flashcards > Print Preview